Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - NO MUNDO DOS FAMOSOS
 


Entrevista Especial com GABRIEL BRAGA NUNES

 

Hoje eu entrevisto aqui “No Mundo dos Famosos” um dos galãs dessa geração. Ele é filho da grande atriz Regina Braga com o diretor Celso Nunes, atuou em diversas novelas da TV Globo, mas ganhou notoriedade ao se transferir para a Rede Record onde protagonizou diversas novelas o que propiciou seu retorno para a TV Globo a peso de ouro. Atualmente, está no ar como o mulherengo Luís Fernando na atual novela das nove, “Babilônia”. A “Entrevista Especial” de hoje é com o talentoso ator GABRIEL BRAGA NUNES.

“Admiro e tenho muito carinho pelos atores, e por todos os profissionais do meio. Tiro o chapéu pra minha classe!”

 (Gabriel Braga Nunes)

Jéfferson Balbino: Gabriel, atualmente você vem dando vida ao Luís Fernando na novela “Babilônia”. Como está sendo interpretar pela primeira vez um personagem cômico do Gilberto Braga?

Gabriel Braga Nunes: Esta sendo muito bom, pois é um núcleo muito divertido o meu personagem ama muito a personagem da Maria Clara Gueiros e eles vivem entre tapas e beijos (risos).

Jéfferson Balbino: E fazer comédia é muito mais difícil do que fazer drama?

Gabriel Braga Nunes: É... Mas eu estou achando ótimo! É a primeira vez que eu entro no terreno da comédia e estou achando ótimo até porque sempre tive muito respeito, muita admiração e, principalmente, porque acredito que os comediantes são atores superiores. E estou pisando agora nesse terreno com muito orgulho.

Jéfferson Balbino: Você também fez um trabalho marcante como o Léo na novela “Insensato Coração”...

Gabriel Braga Nunes: Que era também a mesma equipe de “Babilônia”, eu adoro essa equipe, é uma equipe alegre, alto astral, é do tipo de equipe que você sai de manhã de casa alegre por ir trabalhar. E, também adorei fazer esse grande vilão que foi o Léo.

Jéfferson Balbino: Fazer vilão exige mais do ator?

Gabriel Braga Nunes: Não existe regra Jéfferson, pelo menos não para mim... Até porque depende muito da circunstância.

Jéfferson Balbino: Na Record, você fez um trabalho memorável que foi o Tony Castellamare na novela “Poder Paralelo” que é era um protagonista ambíguo. Como você vê a importância desse tipo de personagem, criado pelo magistral Lauro César Muniz, para a teledramaturgia brasileira?

Gabriel Braga Nunes: Uma coisa que eu penso é que sempre é legal a gente procurar o drama e a comédia em todos os personagens – sejam eles dramáticos ou cômicos, pois quando você consegue equilibrar as duas linhas de trabalho fica muito mais interessante seu ofício.

Jéfferson Balbino: Entre todos os seus personagens qual é aquele que você nutre um carinho mais especial?

Gabriel Braga Nunes: O Luís. Em geral, sempre gosto mais do um personagem do momento devido ao envolvimento.

Jéfferson Balbino: E foi a sua mãe, a grande atriz Regina Braga, que te motivou a seguir a carreira artística?

Gabriel Braga Nunes: Ah Jéfferson eu te diria que foi um contexto de coisas, foi minha mãe, mas também foi meu pai... Só te digo que ninguém me obrigou, foi uma coisa natural que aconteceu (risos).

Jéfferson Balbino: Você é um ator que assiste novelas?

Gabriel Braga Nunes: Não... Assisto pouco!

Jéfferson Balbino: O que você considera ser mais gratificante na carreira de ator?

Gabriel Braga Nunes: Eu acho o convívio com os colegas, à classe artística...  Admiro e tenho muito carinho pelos atores, e por todos os profissionais do meio. Tiro o chapéu pra minha classe!

Jéfferson Balbino: E você tem algum projeto para o teatro e/ou para o cinema?

Gabriel Braga Nunes: Agora esse momento é da novela, mas em breve terei algumas coisas para divulgar.

Jéfferson Balbino: Querido, obrigado por conceder essa “Entrevista Especial” ao “No Mundo dos Famosos”, parabéns pelo trabalho e muito mais sucesso, abraço!

 

Gabriel Braga Nunes: Obrigado eu, Jéfferson. Abraço!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h22
[] [envie esta mensagem
] []





Tapete Vermelho: CAFU

O homenageado desta semana não é uma figura que aparece diariamente em nossa telinha, mas é uma grande personalidade que fez história no esporte. Batizado como Marcos Evangelista de Morais, atuou como lateral direita. É difícil ser reconhecido pelo seu nome de batismo, mas ao ser chamado de Cafu, não há quem não o conheça.

Sua historia pode servir de exemplo há muitos que desistem facilmente de seus sonhos, Cafu começou jogando pelo “São Paulo” em 1989, porém antes foi reprovado em nove “peneiras”. Já no ano de 1994 o jornal uruguaio “El País” o elegeu como o melhor jogador da América. Após sair do “São Paulo”, Cafu jogou no espanhol “Real Zaragoza” e passou pelo “Juventude”, “Palmeiras”, “Roma” e “Milan”, porém seu maior destaque foi na “Seleção Brasileira”, onde é considerado o jogador recordista de jogos com a camisa verde/amarela com 149 partidas. Outro feito mundial e quase impossível de ser batido é que Cafu é o único a jogar em três finais de Copas consecutivas (1994, 1998 e 2002), sendo campeão por duas vezes. Uma das cenas mais marcantes da história das Copas aconteceu na final de 2002, quando o então capitão Cafu levanta a taça e declara seu amor à esposa, ao meio de tantas comemorações o Brasil assiste um “Eu te amo Regina” .

Atualmente Cafu dedica sua vida à “Fundação Cafu”, um dos projetos mais sinceros e de maior credibilidade do país, sem fins lucrativos a instituição tem como missão executar e manter projetos que incentivam a inclusão social. Estudantes de todo o país espelham em Cafu como um grande exemplo de superação e principalmente de caráter. Não é atoa que jamais poderíamos de deixar de estender um “Tapete Vermelho” a esse grande craque.

Até breve.



Escrito por No Mundo dos Famosos às 19h47
[] [envie esta mensagem
] []





LUTO

O ADEUS À ABU

 

“A gente precisa fazer um fracasso juntos. Fracasso é muito mais divertido.”

(de Antônio Abujamra a Jô Soares)

 

Depois de Odete Lara, Cláudio Marzo e Roberto Talma, perdemos mais uma personalidade genial na semana que passou.

Faleceu aos 82 anos, em São Paulo, Antônio Abujamra, que de tudo fez na sua carreira artística, iniciada em 1961. Ator, diretor de teatro e influente apresentador brasileiro, Abu, como era carinhosamente conhecido, inovou de um modo geral para se fazer arte no teatro, com montagens de peças nos anos 70. Nos 80, marcou época com "Os Órfãos de Jânio", de Millôr Fernandes. 

Não teve muitas novelas no currículo. Pode parecer pouco, mas é marcante de tal forma. Como podem ver na foto que escolhi, está com seu mais excêntrico dos visuais. O bruxo Ravengar, da novela "Que Rei Sou Eu?", marcou a história da teledramaturgia, que começava a modernizar no final dos anos 80. Mais precisamente em 1989, quando a cinquentenária Rede Globo batia recordes atrás de recordes de audiência. A magia do personagem impressionava. Como seria bom se essa novela passasse de novo...

Antônio fez poucas novelas mais à frente, como "Terra Nostra", "Começar de Novo" e "Poder Paralelo". A última foi "Corações Feridos", gravada em 2010, mas que o SBT exibiu só em 2012, antecedendo o grande sucesso "Carrossel". Como diretor, supervisionou com Atílio Ricco "Os Imigrantes", novela de maior sucesso da história da Bandeirantes.

Mas além de ator, diretor, e o ca#@&$¨ a quatro (ops, ele falava palavrão à beça), Abu virou um exímio apresentador. Lançou em 2000 o "Provocações", na TV Cultura, e é exibido desde então. Não se sabe que destino a atração terá com sua morte. Que, aliás, era uma das perguntas finais de quase todas as suas entrevistas (morreu enquanto dormia). Ao todo, foram exatas 696 entrevistas gravadas.

ERA UM PROVOCADOR. Algumas entrevistas de destaque ao longo dos 15 anos foram com atores como Wagner Moura, Lázaro Ramos, o apresentador Rafinha Bastos, o deputado polêmico Clodovil. Mais recentemente veteranos como a atriz Beatriz Segall. No último dia 21, deu o que falar o programa com o humorista Eduardo Sterblitch, do programa Pânico. Abu morreu no dia 28, justamente uma terça-feira, dia em que é regularmente exibido (passava aos domingos até 2010). Nesse programa foram dois entrevistados: André Soler e Vinícius Lima, criadores do site SP Invísivel, com 200 mil curtidas no Facebook. (https://www.facebook.com/spinvisivel/timeline).

Antônio Abujamra deixa órfão o filho André Abujamra, que assina a trilha musical do "Provocações" e tocava no extinto "Agora é Tarde". E as sobrinhas Clarisse Abujamra e Iara Jamra.

E deixa um imenso legado de entrevistas provocantes, atuações provocantes, palavrões provocantes. Enfim, agora vai provocar, culturamente, no céu.

 

Antes de encerrar, deixo um link com um dos trechos de seu programa, onde o entrevistado... é ele mesmo! Imagine como é se provocar. Inclusive em determinado momento, ele diz que morreria antes de 2017... Vá em paz.


http://www.youtube.com/watch?v=lgBEh4PC9wk

 

 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 19h37
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]