Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - NO MUNDO DOS FAMOSOS
 


250ª Entrevista Especial com TONY RAMOS

 

Eis que chegamos a 250ª Entrevista Especial do “No Mundo dos Famosos”. E o meu entrevistado de hoje é com absoluta certeza e sem sombra de dúvidas um dos maiores atores de todos os tempos que o Brasil já conheceu. Ele deu vida a inúmeros personagens de grande sucesso e de extrema repercussão, trabalhou com quase todos os monstros sagrados da dramaturgia brasileira e sempre cativa o público com seu olhar sincero e com seu talento imensurável até mesmo quando dá vida aos vilões, o que comprova sua eximia versatilidade na arte de interpretar. Hoje eu entrevisto um dos protagonistas de “A Regra do Jogo”, a próxima novela das nove da Globo, o magistral ator TONY RAMOS.

“Não me arrependo de nada, pois fiz na minha profissão tudo aquilo que eu queria fazer.”

(Tony Ramos)

Jéfferson Balbino: Sua última aparição na telinha foi no especial “Show 50 Anos” que comemorou os 50 anos de existência da TV Globo. Como foi participar desse momento?

Tony Ramos: É bom ser lembrado. É sempre bom poder reencontrar os nossos companheiros, os nossos amigos e, sobretudo, reencontrar companheiros que começaram a televisão. É tão bonito ver isso... Foi um momento de congraçamento e pra mim foi uma delícia.

Jéfferson Balbino: A propósito, quanto tempo você tem de Globo?

Tony Ramos: Eu estou a 39 anos na TV Globo.

Jéfferson Balbino: Qual você considera ter sido seu maior momento na TV Globo?

Tony Ramos: É complicado responder essa pergunta... E, não estou em cima do muro (risos) e muito menos aquela velha e tradicional resposta, mas é que não consigo ressaltar apenas um momento sendo que todos foram pra mim momentos muito especiais.

Jéfferson Balbino: Sendo assim, você não tem um personagem preferido e/ou que você tem um carinho um pouco mais especial?

Tony Ramos: Não... Chega até ser curioso isso, porém, eu nunca consegui escolher um ou dois ou cinco personagens numa longa trajetória. Só na Globo eu fiz diversas novelas, séries, minisséries e especiais e, ainda, teve programas que eu apresentei também, portanto chega a ser muito difícil eu dizer apenas um. E te digo isso com a maior sinceridade não tem como eu escolher apenas um personagem sendo que eu tive vários momentos meus que foram tão especiais. Enfim, não é ficar em cima do muro, mas sim não ter que escolher um personagem e trair todos os outros.

Jéfferson Balbino: Você fez um belíssimo trabalho quando a TV Globo comemorou seus 20 anos que foi a antológica minissérie “Grande Sertão Veredas”... Como foi dar vida ao Riobaldo?

Tony Ramos: Pois é, eu fiz a minissérie “Grande Sertão Veredas” no ano que a TV Globo completou seus 20 anos e foi essa a minissérie escolhida para comemorar aquela data. E o Riobaldo foi um personagem marcante e que me deu muito prazer em fazer.

Jéfferson Balbino: E quais foram os outros personagens que te deram prazer em fazer?

Tony Ramos: Tive prazer em fazer vários trabalhos... Como esquecer o meu último trabalho em dramaturgia que foi no remake de “O Rebu”? Não tem como! E como vou esquecer o trabalho que eu fiz nas novelas da Janete Clair, como: “Pai Herói”, “O Astro” e tantas outras como “Baila Comigo”, “Rainha da Sucata”, “A Próxima Vítima”, “Belíssima”, “Passione”? É impossível!

Jéfferson Balbino: E você se arrepende de algum trabalho que fez ao longo de sua carreira?

Tony Ramos: Não me arrependo de nada, pois fiz na minha profissão tudo aquilo que eu queria fazer.

Jéfferson Balbino: Mas nem por imposição da emissora você teve que fazer algum trabalho do qual não quisesse participar?

Tony Ramos: A Globo nunca me pressionou a nada e por isso eu sou muito feliz aqui dentro. A Globo é uma grande empresa que transformou a minha vida profissional, pois quando eu vim pra cá eu já tinha tido 12 anos de TV Tupi, portanto eu aprendi a enxergar a TV Globo e se você Jéfferson, jornalista que é, olhar com calma e não meramente, digamos, na primeira emoção vai ver que a TV Globo é uma grande empregadora da mão de obra brasileira você irá ver que desde o jornal “Hora Um” que começa as 5 da manhã que por sinal é um grande sucesso, pois é uma grande delícia de ver, enfim, do “Hora Um” até a hora que você quiser assistir você verá que há por trás uma grande mão de obra brasileira, pois as raríssimas exceções são a “Sessão da Tarde” e o “Corujão”... A Globo é uma empresa muito importante para todos nós profissionais!

Jéfferson Balbino: E em algum momento de sua carreira você já cogitou a possibilidade de aceitar trocar de emissora?

Tony Ramos: Ao longo desses meus 39 anos de Globo recebi sim alguns convites pra trocar de emissora. Felizmente ainda sou lembrado pra esse tipo de convite, mas estou bem aqui e não penso em sair daqui.

Jéfferson Balbino: Quem são seus maiores ídolos?

Tony Ramos: São tantas companheiros entre esses tantos posso citar: a dona Laura Cardoso que é a minha grande inspiração, posso citar o seu Elias Gleizer que foi um dos mais importantes atores brasileiros e outros tantos como: Luis Gustavo, Juca de Oliveira, Lima Duarte que é um querido amigo e outros tantos ídolos e inspirações como a Aracy Balabanian... Ih, já estou começando a esquecer nomes de outros companheiros que também admiro muito. Tem também a dona Fernanda Montenegro que jamais irei esquecer, a dona Nathália Timberg, enfim eu tenho ‘n’ momentos com muitos companheiros, mas diante deles eu não os trato por ‘seu’ e nem ‘dona’, mas sim de ‘e aí?’ (risos) até porque eu não sou mais criança...

Jéfferson Balbino: De todos esses que você citou você já trabalhou com todos... Existe algum ator ou atriz que você nunca trabalhou, mas que também é um grande ídolo seu?

Tony Ramos: Sim, a dona Cacilda Becker, por exemplo.

Jéfferson Balbino: Além da nova novela das nove, você tem algum outro projeto? Como, por exemplo, no Cinema?

Tony Ramos: Em dezembro eu terminei de gravar um filme do Ruy Guerra que marca a volta do Ruy Guerra ao cinema o que me deixou muito feliz em participar desse projeto que marca a volta dele. Fizemos o filme “Quase Memória” que é baseado na obra do Carlos Heitor Cuny, o autor do livro “Quase Memória”.

Jéfferson Balbino: E quando vai estrear o filme?

Tony Ramos: Acredito eu que em Agosto ou em Setembro.

Jéfferson Balbino: Em breve, você estará no ar na próxima novela das nove, “A Regra do Jogo”, o que o público pode esperar do Zé Maria seu novo personagem?

Tony Ramos: Eu de cabelo longo e barba branca (risos). E de novo tendo o prazer de trabalhar numa novela do João Emmanuel Carneiro.

Jéfferson Balbino: E como será seu personagem?

Tony Ramos: É um personagem muito interessante e surpreendentemente acachapante é um homem em fuga e o resto eu não te falo (risos).

Jéfferson Balbino: E com quais colegas você irá contracenar em “A Regra do Jogo”?

 

Tony Ramos: Irei contracenar com vários colegas como a Susana Vieira, o [Alexandre] Nero, a Cássia [Kis Magro]...



Escrito por No Mundo dos Famosos às 12h37
[] [envie esta mensagem
] []





250ª Entrevista Especial com TONY RAMOS

Jéfferson Balbino: E como é o Tony Ramos telespectador? O que você gosta de assistir?

Tony Ramos: Eu gosto de assistir a Globo em vários momentos, porém, tem um programa que eu jamais perco e você Jéfferson irá dizer: “Ele tá fazendo charme”, mas juro que não estou fazendo charme até porque eu não tenho mais idade pra isso, enfim eu realmente amo assistir o “Globo Rural” (risos). Eu adoro tanto o “Globo Rural” que quando não posso assistir eu coloco pra gravar.

Jéfferson Balbino: E você é um ator que assiste novela também ou que só gosta de ver o “Globo Rural” (risos)?

Tony Ramos: Eu sempre que posso assisto todas as novelas que estão no ar e até te conto o que vi nos capítulos que eu assisti se você quiser (risos).

Jéfferson Balbino: Como está sendo ser dirigido pela grande Amora Mautner?

Tony Ramos: A Amora é um grande talento e por isso está sendo um grande prazer trabalhar com ela novamente. A gente já havia se encontrado quando eu fiz a minissérie “Mad Maria” e no primeiro capítulo que eu fiz em “Avenida Brasil”.

Jéfferson Balbino: Existe algum tipo específico de personagem que você não tenha feito na sua carreira e que ainda gostaria muito de fazer?

Tony Ramos: Sim, sempre tem. Como disse outro dia gostaria muito de fazer um maestro e trazer a música clássica para a telenovela até mesmo como uma prestação de serviço para o grande público.

Jéfferson Balbino: E teve algum personagem feito por outro ator que você gostaria de ter feito caso tivesse tido a oportunidade?

Tony Ramos: Não... Eu nunca desejei nada que não foi destinado pra mim

Jéfferson Balbino: Vários personagens que você deu vida ganharam uma nova identidade com outros interpretes. Como é ver outros atores dando vida à personagens que marcaram a sua carreira?

Tony Ramos: Sabe Jéfferson, outro dia um colega seu me perguntou qual novela daria um remake e eu respondi que “Baila Comigo” e ele então me disse se eu não tinha ciúmes de ver os gêmeos que eu fiz nessa novela de Manoel Carlos serem interpretados por outros atores e eu disse, pra surpresa dele, que não. Eu não tenho ciúme de personagens de outros colegas, não tenho ciúmes quando meus colegas fazem personagens que eu já fiz, pois eu nunca tenho ciúmes de nada. Um exemplo disso que eu estou te falando é que eu adorei fazer a novela “A Viagem” na Tupi com a Eva Wilma e adorei ver o Mauricio Mattar, o [Antônio] Fagundes e a Christianne Torloni fazendo o remake, achei lindo! Eu acho que a gente tem que crescer com a vida, pois os personagens vão e vem e o resto que me interessa é à hora do jantar e remar meu barco (risos).

Jéfferson Balbino: Recentemente, o beijo lésbico protagonizado por Fernanda Montenegro e Nathália Timberg em “Babilônia” teve uma repercussão negativa comprometendo a audiência da trama. Em 1998, você também protagonizou uma cena polêmica na novela “Torre de Babel”, onde o seu personagem matava a sangue frio a mulher e a amante com uma pá. Como você acha que o público reagiria ao ver essa mesma cena agora em 2015?

Tony Ramos: Não consigo entender como o público pode se chocar ao ver a cena de um beijo entre duas pessoas do mesmo sexo e não se chocar em ver todos os dias nos jornais, enfim na vida real, cenas de violência. E do jeito que o público esta conservador acho que agora essa cena de “Torre de Babel” chocaria mais.

Jéfferson Balbino: O que você acredita ter sido a sua maior contribuição para a história da (tele) dramaturgia brasileira?

Tony Ramos: Eu não tenho essa pretensão não, pois eu faço parte de um time e não sou um solista. Eu faço parte de um time!

Jéfferson Balbino: Querido, foi uma honra imensurável entrevistar você aqui “No Mundo dos Famosos”. Obrigado, muito obrigado por tudo que você fez e faz em prol da cultura brasileira. Parabéns pela brilhante carreira e muito mais sucesso, um grande abraço!

 

Tony Ramos: Eu agradeço seus cumprimentos e te desejo todo o sucesso também, um abraço!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 12h36
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]