Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - NO MUNDO DOS FAMOSOS
 


Entrevista Especial de Ano Novo com RENATA SORRAH

 

A primeira “Entrevista Especial” de 2016 é com uma das maiores atrizes que esse país já conheceu. Ela deu vida a inúmeras personagens de sucesso, emocionou e divertiu o Brasil na mesma proporção e tudo isso graças a um talento singular que impressiona à todos que a vê representar. Atualmente vem brilhando na tela da Globo como a Nora na atual novela das nove “A Regra do Jogo”. A entrevista de Ano Novo do “No Mundo dos Famosos” é com a querida atriz RENATA SORRAH.

 

“Eu sou atriz e ser atriz é a minha vida, pois é como eu vejo o mundo e eu vejo o mundo através da minha profissão”...

Renata Sorrah

Jéfferson Balbino: Como está sendo atuar na novela “A Regra do Jogo”?

Renata Sorrah: É um prazer estar num elenco repleto de bons atores. Somos 32 atores de muito talento!

Jéfferson Balbino: O que você ressaltaria do texto do nosso querido João Emanuel Carneiro?

Renata Sorrah: Acho o texto do João Emanuel [Carneiro] sensacional...

Jéfferson Balbino: Como você define a Nora sua personagem na novela das nove?

Renata Sorrah: O projeto de vida da Nora é tentar salvar a vida doente da filha que é a personagem da Barbara Paz. Ela está inserida numa família muito trágica, apesar de todos os dramas que a envolve ela consegue ser uma personagem solar. É uma mulher muito forte...

Jéfferson Balbino: Como foi o processo de composição da Nora? Você seguiu apenas o que continha na sinopse ou procurou algum referencial externo?

Renata Sorrah: Não procurei nada externo até porque a gente conhece muitas pessoas como ela, como essa família dela... Conheço muitas famílias como a da Nora, pessoas que perderam filhos e não tem nada pior na vida que você perder um filho e, é justamente aí que vem a força dela que a mantém em pé. E ela não é deprimida, ela é forte.

Jéfferson Balbino: Você levou alguma coisa sua para a Nora?

Renata Sorrah: Acho que não...

Jéfferson Balbino: Uma das maiores vilãs de toda a história da teledramaturgia brasileira se chama Narazé Tedesco que você fez com total maestria na novela “Senhora do Destino”. E, embora ela fosse uma vilã que preenchesse todos os requisitos de maldade ainda assim ela cativava o público da trama de Aguinaldo Silva. Qual foi o diferencial dessa vilã que conquistou o público?

Renata Sorrah: A Nazaré era uma vilã com humor e era por isso que as pessoas gostavam dela. E por incrível que pareça foi a primeira vilã que fiz na televisão...

Jéfferson Balbino: Qual personagem você considera a obra-prima da sua carreira?

 

Renata Sorrah: Não tenho obra-prima. Tem personagem que eu gostei, mas não posso classificar como obra-prima, pois fica pretencioso...



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h51
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial de Ano Novo com RENATA SORRAH

 

Jéfferson Balbino: Então quais suas personagens preferidas?

Renata Sorrah: A Nazaré Tedesco de “Senhora do Destino”, a Heleninha Roitman de “Vale Tudo”, a Pilar de “Pedra sobre Pedra”, a Zenilda de “A Indomada”, a Mariana que eu fiz em “O Primeiro Amor”... Eu fiz muita coisa...

Jéfferson Balbino: Você é uma atriz que já trabalhou com diversos autores como: Dias Gomes, Walther Negrão, Lauro César Muniz, Gilberto Braga, Aguinaldo Silva, Silvio de Abreu, Manoel Carlos, entre outros tantos... É difícil para o ator se adaptar ao estilo dramatúrgico de cada novelista?

Renata Sorrah: Não, pois cada autor desses acrescentou alguma coisa na minha carreira. E também é função do ator se adaptar ao texto de cada autor que se trabalha...

Jéfferson Balbino: O que você acredita ter sido a sua maior contribuição para a história da teledramaturgia brasileira?

Renata Sorrah: Que pergunta difícil, Jéfferson. Eu não sei... Isso são as pessoas que tem que dizer e não eu, porque senão estarei sendo muito mais muito pretensiosa (risos).

Jéfferson Balbino: E você é uma atriz que assiste novelas?

Renata Sorrah: Não, pois não tenho muito tempo. Estou sempre fazendo teatro, mas quando eu posso eu assisto.

Jéfferson Balbino: E quais foram as melhores novelas que você assistiu?

Renata Sorrah: Ah foram muitas e também nem posso citar pra não desagradar meus colegas (risos)...

Jéfferson Balbino: Ultimamente, a teledramaturgia brasileira tem se preocupado em abordar histórias com cunho social de maneira muito estridente. Você acha que o papel da telenovela é mostrar e tentar mudar a realidade da sociedade?

Renata Sorrah: Eu acho que a telenovela tem que ter sempre como premissa o ideário do folhetim, porém, deve também levar algo social para o Brasil.

Jéfferson Balbino: E essa responsabilidade social recai sobre o ator também ou é algo que se restringe apenas ao novelista?

Renata Sorrah: Não... É claro que recai em nós atores também, afinal somos o porta-voz do autor.

Jéfferson Balbino: O que é mais gratificante na carreira de atriz?

Renata Sorrah: Não existe uma coisa mais gratificante, pois eu sou atriz e ser atriz é a minha vida, pois é como eu vejo o mundo e eu vejo o mundo através da minha profissão. E, é o contrário também, pois cada vez mais eu acho que o mundo me ensina a ser atriz.

Jéfferson Balbino: E quem são seus maiores ídolos?

Renata Sorrah: Eu acho que todos os atores brasileiros que fazem telenovela são todos sensacionais. Então todos os atores com quem eu trabalhei eu admiro – e muito.

Jéfferson Balbino: E você é uma mulher adepta da tecnologia?

Renata Sorrah: Não sou tão antenada com a tecnologia, porém, tenho um computador onde acesso meus e-mails, faço pesquisas no Google, uso também pelo celular onde mantenho contatos no WhatsApp, mas prefiro sempre um contato real do que um contato virtual.

Jéfferson Balbino: Você que é uma das maiores atrizes da teledramaturgia brasileira já recusou algum papel por achar inferior ao seu talento e carreira?

Renata Sorrah: Nunca recusei papel... No teatro tenho a liberdade de escolher qual papel quero fazer, mas na TV não temos muita chance pra escolher o que queremos fazer, porém, tive sempre a sorte de ser chamada pra fazer bons personagens.

Jéfferson Balbino: Renata, foi uma honra ter uma maravilhosa atriz como você aqui “No Mundo dos Famosos”. Obrigado por conceder essa entrevista, um Ano Novo de muito sucesso pra você, beijo!

 

Renata Sorrah: Pra todos nós querido, beijo!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h44
[] [envie esta mensagem
] []





Comparativo Especial: Há 23 anos o Brasil se despedia da atriz DANIELLA PEREZ

HOMENAGEM À DANIELLA PEREZ


 

Esse comparativo, não será sobre novelas e tal, será uma singela homenagem a atriz Daniella Perez, cujo assassinato completa 23 anos nessa segunda-feira dia 28 de dezembro de 2015.

Dos passos de dança feitos com paixão, da pureza e o talento nas telas em evidência à sua beleza estonteante que marcou uma geração inteira, cujo assassinato foi feito de maneira tão brutal e por motivos tão fúteis, que a nação sentiu o peso da sua morte, em um ano onde todos aplaudiram a saída de Collor do poder depois de inúmeras falcatruas, o país se viu mergulhado na dor de perder uma atriz cuja carreira estava começando a crescer, mas que em pouco tempo, conquistou a todos, iremos lembrar um pouco sobre a curta carreira da atriz Daniella Perez, filha da conceituada, admirável e guerreira, a autora Glória Perez.

CURIOSIDADES: CARREIRA, CRIME E A LUTA PELA JUSTIÇA

Sua carreira começou na novela Kananga do Japão da extinta TV Manchete exibida em 1989, ela fez uma pequena participação como a dançarina Eduarda, em um papel relativamente curto, mas que ficou marcado não só pelo talento pela dança, mas foi nessa trama que Daniella conheceu Raul Gazolla, cuja química foi tão forte, que eles se casaram.

Dany, como era chamada pelos íntimos, era aluna da respeitada academia de dança de Carlota Portela, onde lá que pode mostrar seus dotes na dança, além disso, conciliava sua vida na dança com a televisão.

Em 1990, Daniella estreou na TV Globo na trama de Barriga de Aluguel, de autoria da mãe Glória Perez, no papel de Clô, uma das dançarinas de uma casa de shows, e dividia um apartamento com a ex-prostituta Yara, a personagem apesar de ganhar destaque, teve uma participação menor para que Daniella pudesse fazer a trama de O Dono do Mundo.

1991 chegou... E Daniella estava lá na sua estreia no horário das oito, graças ao convite do diretor Dennis Carvalho, ela estrelou em O Dono do Mundo, no papel de Yara, irmã de Stella, personagem de Glória Pires, a personagem era mais agitada e ousada, diferente da irmã, mas mantinha o senso de justiça e o amor pelo pai e pela irmã, apesar de defender com unhas e dentes o cunhado Felipe, com as reformulações impostas na sinopse original, o suposto romance entre ela e Felipe sumiu, em compensação, mesmo em um papel menor, a atriz se destacou pelo talento, crescendo ainda mais e aparecendo bastante em cenas incríveis com Glória Pires, Stênio Garcia, Nathália Timberg e Marcelo Serrado.

 

Chegamos ao ano de 1992... E, infelizmente, o último ano de vida de Danny, nesse ano, ela estava envolvida em dois projetos, ela fez uma participação em um especial de Natal interpretando Maria, a mãe de Jesus Cristo, e participaria da trama De Corpo e Alma, dessa vez alçada como co-protagonista da trama, a jovem Yasmin, era sensual e sincera, mas ao mesmo tempo, era romântica, amorosa e sensível, se apaixona por Caio, mas por desavenças com a família do rapaz, ela não pode viver esse romance, e acaba se envolvendo com Bira, um motorista de ônibus.

Infelizmente, no dia 28/12/1992, após as gravações do dia, Daniella é encurralada em um matagal na Avenida das Américas na Barra da Tijuca na zona oeste do Rio de Janeiro, lá ela foi brutalmente assassinada a golpes de tesoura pelo ator estreante (e psicopata assumido) Guilherme de Pádua e sua mulher (ciumenta e psicopata) Paula Thomaz, juntos o casal maldito matou a atriz com dezoito golpes de tesoura, perfurando órgãos vitais para o funcionamento do corpo, e comprovando a tese de psicopatas, eles simularam um assalto levando a bolsa dela que continha a aliança de casamento e uma quantia em dólares, além de consolarem a família da vítima e adulterarem a placa do carro onde foi encontrada a arma do crime, o crime comoveu a população em geral, pois eles não perderam só uma atriz carismática e bela, mas também viram desaparecer a personagem que encantou a todos pelo seu samba e por suas ironias dignas de uma diva.

Glória se afastou da trama por quinze dias, deixando a responsabilidade dos capítulos para os autores Gilberto Braga e Leonor Basséres, quando retornou, acrescentou à vasta lista de temas sociais a inadequação do sistema penal do pais e a morosidade da justiça brasileira, ela se dividia em escrever a novela e a recolher assinaturas para que as leis sobre o crime de Homicídio Qualificado fossem mudadas, colocando o crime como hediondo, ela conseguiu recolher 1 milhão e 300 mil assinaturas e conseguiu mudar a lei, mas que não foi aplicada ao casal de assassinos, onde eles mesmo sendo condenados a 19 anos de prisão, cumpriram metade da pena e foram soltos seis anos depois por bom comportamento, mesmo assim, graças a iniciativa da autora, a prática de Homicídio Qualificado está sendo tratada com maior rigidez.

SAUDADES ETERNAS

A saudade é o sentimento que todos sentem para aqueles que sofreram com a morte da atriz, sejam parentes, amigos ou fãs, e principalmente para Glória, onde a melhor maneira deles se confortarem com a ausência dela, é lembrando com carinho, das fotos com sua beleza, da sua dança poderosa e delicada e o seu talento excepcional para fazer personagens ficarem marcados no imaginário do público brasileiro, que imaginariam ela nos seus 45 anos de idade, fazendo papéis de protagonistas, vilãs, cômicas, com dança ou sem dança, ela estaria aqui, brilhando até hoje, mas só podemos pedir as estrelas do céu, que cuidem bem dela, pois nos céus nas noites de luar, aquela estrela que mais brilha no céu, representa aquela, que nos encantou e encanta a todos até hoje.

 

Uma singela homenagem a Daniella Ferrante Perez Gazolla, ou Daniella Perez ou simplesmente Dany, a eterna Eduarda (Kananga Do Japão), Clô (Barriga de Aluguel), Yara (O Dono do Mundo) e Yasmin (De Corpo e Alma)...

 

Daniella Perez

 

* 11/08/1970
+ 28/12/1992



Escrito por No Mundo dos Famosos às 19h31
[] [envie esta mensagem
] []





TV TUDO

O MELHOR E O PIOR DA TV BRASILEIRA EM 2015

Resultado de imagem para o melhor e o pior de 2015

 

É, amigos, 2015 está chegando ao fim, e desde já fica meu desejo de boas festas e, acima de tudo, um grande ano novo!

E é a hora de escolher O MELHOR E O PIOR do que se passou na televisão brasileira no ano que vai-se embora. Por tudo que há de sagrado neste mundo, ao querido leitor, se emocione e se acabe de rir com as opiniões que escreverei logo abaixo. Preparados? Lá vai a seleção?

 

MELHOR NOVELA - OS DEZ MANDAMENTOS (RECORD)

 

2015 foi um ano mais recheado de boas e repercutidas novelas, bem mais do que 2014. E é da Record a grata surpresa da vez. Talvez surpresa não seja bem a palavra para definir a trama bíblica de Vivian de Oliveira. Uma superprodução que justificou o alto investimento para retomar a boa fase da dramaturgia da Record, depois de sucessivos fracassos. Recordes de audiência foram batidos, e a liderança veio com folga nos capítulos finais, derrotando ao Jornal Nacional. E o prêmio de "CENA DO ANO" também vai para a obra, com a abertura do Mar Vermelho. Digna de Hollywood!

Ainda sobre CENA DO ANO, menciono também o encontro dos seis protagonistas num parque de diversões em "Sete Vidas". Curta e emocionante...

Vale as menções honrosas para Verdades Secretas, que abalou as estruturas com seu último capítulo, e Além do Tempo, com uma marcante transição de 120 anos de uma fase para outra. A propósito, a trama de Elizabeth Jihn podia muito bem ganhar esse prêmio, não fosse à monotonia em que entrou na segunda fase (pena!). Como novelas bem humoradas, também cito I Love Paraisópolis, Alto Astral e Cúmplices de um Resgate.

 

PIOR NOVELA - BABILÔNIA (GLOBO)

 

Não foi difícil escolher a pior do ano. Tido como carro-chefe para a comemoração dos 50 anos da Rede Globo, Babilônia abalou as estruturas, mas de forma negativa. Começou rejeitada, e a tentativa de mudar diversos rumos da história afundou de vez as esperanças de um resultado melhor. Do elenco, só se salvaram Glória Pires e Adriana Esteves e... esquece! A segunda pior novela fica com "A Regra do Jogo", que decepcionou meio mundo após uma imensa expectativa, embora tenha mais repercussão que sua antecessora.

 

MELHOR ATOR - ALEXANDRE NERO (A REGRA DO JOGO)

 

Vamos dizer que Nero é o bi campeão da categoria! Depois do antológico José Alfredo de "Império", ganhou novamente o papel de protagonista, menos de seis meses depois, com o policial Romero Rômulo. Obviamente está longe de lembrar sua melhor atuação na vida. Porém, faz o suficiente para que Romero seja igualmente importante na atual trama das nove. Caricato e corrupto. Merece o prêmio com certa folga. Cito também Caio Castro, que depois da péssima atuação em "Amor a Vida", surpreendeu como o vilão Grego de "I Love Paraisópolis".

 

PIOR ATOR - MARCOS PASQUIM (BABILÔNIA)

 

Não foi por culpa dele, mas mereceu. A confusa sinopse da novela de Gilberto Braga previa que seu personagem, Carlos Alberto, fosse homossexual, mas com a mudança no roteiro, virou um romântico à flor da pele que queria a todo custo se relacionar com a protagonista Regina (Camila Pitanga). Não convenceu, pois seu melhor estilo é interpretar personagens "parrudos". Menciono também outro clássico ator para a categoria. Ninguém menos que Tony Ramos, o vilão Zé Maria de "A Regra do Jogo". Está completamente fora de caracterização com aquela barba.

 

MELHOR ATRIZ - GLÓRIA PIRES (BABILÔNIA)

 

Ufa, pelo menos Babilônia ganha numa alta categoria de premiação. Com uma "ajudinha" de Adriana Esteves, Glória comandou as principais ações da novela, com a imoral Beatriz. O que ela transou foi fora do comum. Sexo atrás de sexo... E falando sexualmente, outro destaque é Paolla Oliveira, que agitou como pôde em 2015. No início do ano, fez muito marmanjo mamar por Danny Bond, na minissérie "Felizes para Sempre?", na cena onde vai à sacada só de calcinha fio dental. Ô loco! E toda sexualização rendeu mais um papel importante em novelas. Está indo muito bem como a vilã Melissa de "Além do Tempo", na primeira e na segunda fase. Irene Ravache também.

 

PIOR ATRIZ - TATÁ WERNECK (I LOVE PARAISÓPOLIS)

 

Apesar de gostar muito do jeito "maluca" de ser, e muitas gracinhas à parte, é certo que Tatá irritou à beça os espectadores da novela de Alcides Nogueira e Mário Teixeira. Danda fica marcada como uma personagem completamente sem nexo, e sua falas rápidas e incompreensíveis. Não me recordo de outra atriz pior que ela no ano. Haha...

 

MELHOR ATOR E ATRIZ COADJUVANTE - RAINER CADETE E GRAZI MASSAFERA (VERDADES SECRETAS)

 

A ousada novela das onze de Walcyr Carrasco premiou as melhores atuações das vidas destes jovens atores. Rainer nem de longe lembrou o romântico Rafael de "Amor à Vida", e viveu alguém totalmente oposto ao seu viver real, como Visky, um afeminado caçador de modelos. E Grazi... bem. Viveu intensamente a realidade do mundo das drogas, aonde a modelo Larissa caiu em desgraça, e depois se libertou do vício ao virar evangélica. Atuação impecável, que só mostra o quanto a atriz cresce a cada trabalho que faz. Rodrigo Lombardi e Marieta Severo, da mesma novela, são outros destaque a citar... SERVE??

 

OBS: por ser uma categoria subjetiva, não vou escolher os piores. Para crianças, vale o mesmo.



Escrito por No Mundo dos Famosos às 23h14
[] [envie esta mensagem
] []





TV TUDO

MELHOR TEMA DE NOVELA - A NOITE (TIÊ - I LOVE PARAISÓPOLIS)

 

Disparada a melhor música do ano, e caiu como uma luva sendo tema romântico do casal principal da novela, Mari e Benjamin (Bruna Marquezine e Maurício Destri). E Tiê é uma revelação maravilhosa na música popular brasileira.

 

PIOR TEMA DE NOVELA - NA BATIDA (ANITTA - ALTO ASTRAL)

 

Não que Anitta seja uma má cantora e tal, está crescendo mais profissionalmente no ramo musical. Mas esse funk não colou para uma novela-família que incluía o espiritismo como tema principal. E pensar que "Hoje", de Ludmila, outro funk tema de "Império", ganhou o Melhores do Ano do Faustão este mês (e a música é de 2014).

 

ATOR REVELAÇÃO - GHILHERME LOBO (SETE VIDAS)

 

Começou muito bem sua carreira na TV, na pele de Bernardo, personagem importante na novela de Lícia Manzo, sendo importante em algumas histórias paralelas.

 

ATRIZ REVELAÇÃO - CAMILA QUEIROZ (VERDADES SECRETAS)

 

De modelo à protagonista de novela ousada, assim se guinou rapidamente a vida da jovem atriz, que brilhou como Arlete (Angel, como preferirem). Estará no ar em janeiro, com a nova novela das seis "Êta Mundo Bom", do seu pupilo Walcyr Carrasco.

 

MELHOR PAR ROMÂNTICO - FELIPE E LÍVIA (RAFAEL CARDOSO E ALINNE MORAES, ALÉM DO TEMPO)

 

Há muito tempo que não via um casal tão bem entrosado e romântico como esse, e em duas fases! Aliado à boa história, vale a ótima atuação da dupla, em especial de Alinne Moraes, de volta às novelas após um hiato de 4 anos. Cito também, para alegria dos adolescentes, Pedro e Carina (Rafael Vitti e Isabela Santoni, as revelações da última Malhação), ou melhor, "Perina".

 

ATOR MIRIM - JP RUFINO (ALTO ASTRAL)

 

Pode parecer surpresa, mas escolho JP por evoluir bastante do seu primeiro trabalho, em "Além do Horizonte", para o segundo, como Azeitona, simplesmente por ser um personagem importante que chegava à falar com espíritos. Bom de mediunidade! Vale citar João Gabriel D´aleluia, o Francisco de "Além do Tempo".

 

ATRIZ MIRIM - LARISSA MANOELA (CÚMPLICES DE UM RESGATE)

 

De um jeito ou de outro, é óbvia a escolha. Nunca vi alguém tão jovem como Larissa a interpretar duas personagens de um jeito tão lúcido e familiar. As gêmeas Manuela e Isabela, de personalidades opostas, sustentam a história da novela infantil do SBT. Mel Maia, a Felícia de "Além do Tempo", não fica para trás na eleição.

 

MELHOR SÉRIE - FELIZES PARA SEMPRE? (GLOBO)

 

Exibida de 26 de janeiro a 6 de fevereiro, a minissérie de 10 capítulos apostou alto em tom dramático e revelou facetas de personagens, como a já citada Danny Bond, de Paolla Oliveira. Teve a mesma boa repercussão de "Amores Roubados", do ano passado. E pra iniciar o próximo ano, vem nova minissérie de fortes emoções de novo, com "Ligações Perigosas"! Como seriado mesmo, o prêmio vai para "Mister Brau", também da Globo, com Lázaro Ramos no papel-título.

 

PIOR SÉRIE - AMORTEAMO (GLOBO)

 

Protagonizada por Marina Ruy Barbosa e Johnny Massaro, com apenas cinco episódios e, quiçá, segunda temporada garantida, a série exagerou os trejeitos e maquiagens para apresentar uma história assombrosa. Pouco repercutiu.

 

MELHOR APRESENTADOR(A) - FÁTIMA BERNARDES (ENCONTRO)

 

Já consolidada nas manhãs de segunda à sexta, a ex-apresentadora do Jornal Nacional segue cativante no programa de entretenimento, por mais que haja temas repetitivos. O seu dinamismo é que agrada muito. Ah, Sílvio Santos é hors-concours!

 

PIOR APRESENTADOR(A) - DANIELA ALBUQUERQUE (SENSACIONAL)

 

 

A primeira dama da RedeTV! nunca chega a ser uma brilhante apresentadora, qualquer programa que seja. Não leva muito jeito. Do público mais sofisticado, também cito Mônica Iozzi, do "Video Show", que passou por grandes reformulações este ano. Embora tenha ficado bem melhor que antes (Zeca Camargo era tenso), Mônica fala cada bobagem...



Escrito por No Mundo dos Famosos às 23h14
[] [envie esta mensagem
] []





TV TUDO

MELHOR PROGRAMA - MASTERCHEF (BAND)

 

Campeão de faturamento e carro-chefe da onda de programas culinários, que passou a ser dominante na programação em 2015, o reality apresentado por Ana Paula Padrão vai alcançando o seu apogeu, com altas audiências e até mesmo picos de liderança. Já ganhou até uma versão para crianças recentemente, e a terceira temporada adulta vem aí. Vale mencionar as revistas eletrônicas "Fantástico" e "Domingo Espetacular", cada qual com seu conteúdo diferenciado.

 

PIOR PROGRAMA - ESQUENTA (GLOBO)

 

Já foi bom quando itinerante. Depois que virou programa fixo, cansou... Todo domingo é funk, carnaval, pagode e sertanejo, nunca muda! Felizmente, preces foram atendidas, e o programa de Regina Casé vai tirar férias longas para novas atrações dominicais, e deve voltar no segundo semestre apenas. Se voltar, né... Aliás, o domingo é recheado de atrações ruins. "Domingo Legal", "Eliana", "Domingo Show" e "Hora do Faro" disputam, entre SBT/Record, quem é o menos pior.

 

MELHOR HUMORÍSTICO - ENCRENCA (REDETV!)

 

Quem diria! Um programa sem grandes orçamentos virar o que virou em 2015, desbancando tradicionais programas de humor de grandes TVs. Com conteúdo simples e a exibição de vídeos caseiros do WhatsApp, a atração ganhará maiores investimentos de patrocinadores no ano que vem. Vale citar o "Legendários" da Record, se consolidando no seu quinto ano, e a tradicionalidade do "A Praça é Nossa" do SBT. Na Globo, tivemos a mudança total de formato nas noites de sábado, onde o "Zorra Total" virou apenas "Zorra".

 

PIOR HUMORÍSTICO - TOMARA QUE CAIA (GLOBO)

 

Seria certo eu dar um empate técnico entre o "Pânico" e o "CQC", ambos da Band, para ganhar a categoria. Estes, que já foram num passado recente os melhores do humor, revelando importantes nomes da comédia, hoje não agradam nem um pouco. O primeiro, apelativo como nunca, não lembra mais os tempos de RedeTV!, e o segundo, mais desfalcado do que nunca com a saída de Marcelo Tas, se desgastou, o que é uma pena. Tão penoso ainda, é que está fora da grade do próximo ano. Só volta em 2017.

MAS NÃO DEUUUU. Junto com Babilônia, este "programa" foi um divisor de águas para simbolizar os fracassos do cinquentenário global. HORRÍVEL do início ao fim. E CAIU mesmo, meses depois da estreia.

E é isso galera! Espero que gostem da seleção dos melhores e piores de 2015. Se esqueci de citar algum tipo de categoria, me mandem sugestões, serão sempre bem-vindas. Mal posso esperar para a edição 2016 da seleção, haha...

 

Assim nos despedimos de mais um grande e agitado ano. E as perspectivas futuras são tão boas quanto nunca. Novelas novas, programas novos, e ainda um grande evento, com os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, para cobrir e torcer pelos grandes feitos dos atletas, do Brasil e do mundo.



Escrito por No Mundo dos Famosos às 23h13
[] [envie esta mensagem
] []





TV TUDO

Resultado de imagem para feliz 2016

 

Esse foi o meu primeiro ano no TV Tudo, e ao longo dele pude discutir os mais diversos temas televisivos de tudo que se passou. Agradeço, enormemente, ao site No Mundo dos Famosos pela minha "aquisição"! :D E ao querido dono deste site, Jefferson Balbino, amigo de longa data, desde os tempos dos blogs no UOL. Muitíssimo obrigado, e que venham novos textos!

 

Que o ano novo seja de alegria, amor, paz e prosperidade para todos. Feliz 2016!!!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 23h12
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]