Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - NO MUNDO DOS FAMOSOS
 


Entrevista Especial com MARCO NANINI

 

Entrevisto hoje aqui “No Mundo dos Famosos” uma das maiores referencias da dramaturgia brasileira. Ele já atuou em diversas novelas, em diversos filmes, em diversas peças de teatro, mas foi na série “A Grande Família” onde deu vida ao patriarca Lineu Silva que conquistou todo o Brasil tornando-se o paizão que todos queriam ter. Atualmente, está no ar na novela das seis “Eta Mundo Bom” onde vive Pancrácio, um divertido professor de filosofia. Com muita honra que lhes digo que nossa “Entrevista Especial” de hoje é com o talentoso ator MARCO NANINI.

 

“Eu acho que o talento é uma coisa muito efêmera, pois ele pode vir e pode ir, por isso é necessário ficar atento e com o pé na realidade pra fazer a fantasia”...

(Marco Nanini)

 

Jéfferson Balbino: O grande assunto do momento foi seu retorno às novelas após 16 anos. Como está sendo esse momento na sua carreira?

Marco Nanini: Está sendo muito bom, Jéfferson, pois eu achei que eu iria estar meio confuso, meio desestabilizado, porque nesses anos que fiquei sem fazer novela a televisão cresceu muito tanto em termos tecnológicos quanto de programação, enfim cresceu em todas as áreas. O bom que eu voltei numa produção maravilhosa onde todos os integrantes são muito simpáticos, muito amorosos, muito companheiros, enfim estou muito feliz. 

Jéfferson Balbino: E você está sentindo muita falta de dar vida ao Lineu da série “A Grande Família”, afinal foi um personagem que te acompanhou durante 14 anos de sua vida, né?

Marco Nanini: Jéfferson, eu tenho sim uma saudade, uma melancolia em relação a não poder interpretar mais o Lineu, mas também tenho a consciência de que tudo que tinha que ser feito foi feito até porque o Lineu também queria e estava precisando descansar um pouco.

Jéfferson Balbino: O que é mais gratificante na carreira de ator?

Marco Nanini: Essa experiência lúdica de você fazer outra pessoa que não é você e toda essa preparação é muito gostosa porque a fantasiar faz tudo ser permitido. E também, depois, tem a parte difícil que é realizar toda essa fantasia, mas ainda assim é bom, pois todas as fases desse processo de criação são boas até mesmo porque nossa profissão tem uma rotina brava tanto que nem todo mundo que faz escola de teatro aguenta.

Jéfferson Balbino: E você acha ser imprescindível esse elo de talento e vocação para ser ator, pois existem atores que não possuem as duas coisas ao mesmo tempo, né?

Marco Nanini: Olha, eu acho que o talento é uma coisa muito efêmera, pois ele pode vir e pode ir, por isso é necessário ficar atento e com o pé na realidade pra fazer a fantasia. Eu tenho muito vocação, Jéfferson, pois eu gosto de fazer isso, gosto de me comunicar, gosto que os outros entendam, gosto de ouvir uma risada, gosto de ouvir um silêncio, uma pausa dramática, a comunicação ao vivo no teatro... Já na televisão e no cinema, por ser uma técnica diferente, tem outros sabores, né?

Jéfferson Balbino: Existe algum trabalho seu na TV que poderia ser classificado como sua obra-prima?

Marco Nanini: Não Jéfferson, pois eu não tenho obra-prima (risos), mas eu tenho alguns trabalhos que me deram muito prazer em fazê-los, como “Gabriela”, “Brega & Chique”, “Andando nas Nuvens” e agora estou gostando muito de fazer “Eta Mundo Bom”.

Jéfferson Balbino: Por falar em “Eta Mundo Bom”, como foi o processo de criação do Professor Pancrâcio? Você buscou algum referencial externo?

Marco Nanini: A gente teve várias pesquisas, ensaios da cena com o elenco, meu personagem se caracteriza de outros personagens, pois não consegue arrumar emprego como professor de filosofia e resolve pedir esmolas para sobreviver e por isso se travesti de outros personagens, como cego, freira... Sendo essa a parte mais difícil de fazer esse papel por ser totalmente lúdica, mas estou com um profissional incrível que chama Daysy Teixeira que tem me ajudado muito.

Jéfferson Balbino: Você acha que essa responsabilidade social que a telenovela brasileira acarreta também recai nos atores ou somente em quem escreve e dirige a novela?

Marco Nanini: Depende muito do que vem escrito no roteiro, pois a função do ator é transformar em realidade o que vem escrito. A participação do ator é dar vida ao que o autor escreve...

Jéfferson Balbino: Após interpretar inúmeros personagens, ainda existe algum tipo específico de personagem que você sonha interpretar?

Marco Nanini: Eu nunca sonhei em fazer nada do que fiz, pois deixo as coisas acontecerem, gosto que os personagens que vou fazer me procurem (risos).

Jéfferson Balbino: E você é um ator que assiste novela? Quais às melhores novelas que você assistiu?

Marco Nanini: Assisti poucas novelas, mas agora que dá pra assistir pela internet vejo alguns capítulos, mas nunca fui de assistir, pois não gosto de controle remoto.

Jéfferson Balbino: Mas você se revê em reprises de trabalhos antigos?

Marco Nanini: Não, pois não gosto de me ver atuando (risos).

Jéfferson Balbino: E quem são seus maiores ídolos?

Marco Nanini: Ah... Eu não tenho ídolos...

Jéfferson Balbino: Como é a sua relação com religião? Possui uma crença?

Marco Nanini: Respeito todas, mas não pratico nenhuma religião.

Jéfferson Balbino: Nanini, muito obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”. Parabéns pela carreira brilhante, pelo show de interpretação que você vem dando na nova novela das seis da Globo. E muito mais sucesso, abraço querido!

Marco Nanini: Obrigado querido!

 

 

 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h22
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]